Divulga Vagas - Economia: saiba mais sobre o curso e a carreira
Home   >   Economia: saiba mais sobre o curso e a carreira
Economia: saiba mais sobre o curso e a carreira
13/08/2020   Divulga Vagas 79 Visualizações

Entenda um pouco mais sobre a carreira em Economia, saiba onde cursar esta graduação e como está o mercado de trabalho!

A carreira em Economia

O profissional formado em Economia é conhecido como economista e exerce uma função importante dentro da empresa.

A formação em Economia permite realizar análises de mercado, identificando possíveis investimentos, oscilações em vendas, mudanças nos hábitos de compras dos consumidores, entre outros fatores que influenciam no crescimento e no funcionamento de uma organização.

O economista pode atuar em empresas de pequeno e médio porte, analisando o mercado regional e indicando aos gestores as melhores ações a serem tomadas, garantindo a saúde financeira da empresa. Em alguns casos, o economista é um dos principais gestores de uma pequena ou média empresa.

O crescimento do profissional na carreira de Economia vai depender da sua capacidade de análise teórica e percepção das ações de outras empresas, dos consumidores, dos governos e das nações.

Este profissional pode atuar em áreas como:

  • Auditoria
  • Comércio Internacional
  • Economia Agroindustrial
  • Economia Ambiental
  • Mercado Financeiro
  • Perícia
  • Pesquisa
  • Planejamento Estratégico
  • Políticas Públicas

Perfil do profissional formado em Economia

Quando se fala em Economia, logo se pensa em cálculos. De fato, é preciso que o economista tenha facilidade com os números. Além da aptidão com a Matemática, o economista precisa gostar de leitura e se manter atualizado.

Ser dinâmico e ter capacidade de adaptação a mudanças mercadológicas são características fundamentais a um bom economista.

Mercado de trabalho para quem faz Economia

Por se tratar de um profissional capaz de analisar situações e variações do mercado nacional e internacional, o economista encontra boas oportunidades de emprego em empresas de grande porte ou que possuem operações comerciais com outros países.

Desde pequenas a grandes empresas, o profissional em Economia é contratado para contribuir com a gestão da empresa, e auxiliar nas decisões estratégicas. O poder público é um dos setores que mais contrata economistas.

Além de trabalhar no setor público e privado, o economista pode atuar na área de educação, se tornando instrutor ou professor de universidades. Para isso é necessária uma especialização.

O economista pode também ser um empreendedor e atuar como autônomo prestando consultorias a empresas. Institutos de pesquisa e empresas de jornalismo também costumam contratar esse profissional.

Sobre o curso superior em Economia

O curso de graduação em Economia, também conhecido como Ciências Econômicas, tem duração média de quatro anos e é oferecido na habilitação de bacharelado.

A estrutura curricular do curso apresenta disciplinas das áreas de Ciências Exatas, Humanas e Políticas. O aluno também estuda sobre os processos de produção, uso, distribuição e acumulação de bens e riquezas.

Quanto ganha um Economista?

Salário Mínimo Profissional do Economista

Os economistas não possuem um piso salarial único em todo o Brasil. O Conselho Federal de Economia (Cofecon) estuda uma possibilidade de regulamentação de salário mínimo profissional para a categoria.

O que temos são acordos da categoria. Veja exemplos de pisos salariais em alguns estados:

  • Bahia: R$ 3.208
  • Distrito Federal: R$ 8.846
  • Espírito Santo: R$ 4.066
  • Goiás; R$ 6.028
  • Pará: R$ 8.289
  • Pernambuco: R$ 4.289
  • Paraná: R$ 5.766
  • São Paulo: R$ 5.892

Média Salarial do Economista

De acordo com a Tabela de Salários no Brasil, elaborada pela consultoria Robert Half e publicada pela revista Exame, o salário inicial de um economista é de R$ 3.000,00, podendo chegar a R$ 40.000,00:

  • Economista Júnior: R$ R$ 3.000 a R$ 6.000
  • Economista Pleno: R$ 6.000 a R$ 10.000
  • Economista Sênior: R$ 10.000 a R$ 20.000
  • Economista Chefe: R$ 20.000 a R$ 40.000

O levantamento salarial do site de empregos Catho indica que o cargo de economista tem salário médio nacional de  R$ 3.151.

Já a pesquisa salarial do Site Nacional de Empregos (Sine) apresenta médias salariais que oscilam entre R$ 1.422 (iniciante em empresa pequena) a R$ 5.871 (nível master em empresa grande).

Sobre a Carreira de Economia

A profissão de economista está regulamentada pela Lei nº 1.411, de 13 de agosto de 1951. Para exercê-la, é necessário concluir o curso de bacharelado em Economia ou Ciências Econômicas e obter o registro profissional junto ao Conselho Regional de Economia (Corecon) do estado onde trabalha.

De acordo com  a legislação, um economista pode exercer as seguintes atividades:

  • assessoria, consultoria e pesquisa econômico-financeira;
  • estudos de mercado e de viabilidade econômico-financeira;
  • análise e elaboração de cenários econômicos, planejamento estratégico nas áreas social, econômica e financeira;
  • estudo e análise de mercado financeiro e de capitais e derivativos;
  • estudo de viabilidade e de mercado relacionado à economia da tecnologia, do conhecimento e da informação, da cultura e do turismo;
  • produção e análise de informações estatísticas de natureza econômica e financeira, incluindo contas nacionais e índices de preços;
  • planejamento, formulação, implementação, acompanhamento e avaliação econômico-financeira de política tributária e finanças públicas;
  • assessoria, consultoria, formulação, análise e implementação de política econômica, fiscal, monetária, cambial e creditícia.
  • planejamento, formulação, implementação, acompanhamento e avaliação de planos, programas, projetos de natureza econômico-financeira;
  • avaliação patrimonial econômico-financeira de empresas e avaliação econômica de bens intangíveis;
  • perícia judicial e extrajudicial e assistência técnica, mediação e arbitragem, em matéria de natureza econômico-financeira, incluindo cálculos de liquidação;
  • análise financeira de investimentos;
  • estudo e análise para elaboração de orçamentos públicos e privados e avaliação de seus resultados;
  • estudos de mercado, de viabilidade e de impacto econômico-social relacionados ao meio ambiente, à ecologia, ao desenvolvimento sustentável e aos recursos naturais;
  • auditoria e fiscalização de natureza econômico-financeira;
  • formulação, análise e implementação de estratégias empresariais e concorrenciais;
  • economia e finanças internacionais, relações econômicas internacionais, aduanas e comércio exterior;
  • certificação de renda de pessoas físicas e jurídicas e consultoria em finanças pessoais;
  • regulação de serviços públicos e defesa da concorrência;
  • estudos e cálculos atuariais nos âmbitos previdenciário e de seguros.

O mercado de trabalho para economistas é bastante concorrido e a maior quantidade de vagas está nos grandes centros urbanos. No setor privado, bancos, financeiras, seguradoras, corretoras, bolsa de valores e consultorias são as áreas que mais demandam economistas.

O setor público emprega a maior parte dos economistas no Brasil, que exercem a função em bancos públicos,  na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), no Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), no Banco Central, no Ministério da Fazenda, em secretarias estaduais, fundações e institutos.

A carreira acadêmica, como docente ou pesquisador, também é um a opção pra esses profissionais.

FONTE: https://www.guiadacarreira.com.br/salarios/quanto-ganha-um-economista/ ; https://www.guiadacarreira.com.br/profissao/economia/