Divulga Vagas - Marketing Pessoal
Home   >   Marketing Pessoal
Marketing Pessoal
25/11/2019   Divulga Vagas 37 Visualizações

O marketing pessoal não é apenas uma ferramenta, mas, sim, um novo processo de conduta que deve ser internalizado no nosso comportamento diário.

FAÇAMOS UMA COMPARAÇÃO.
Quando falamos em produtos, algo que nos motiva a comprar é a embalagem, seu formato, suas cores. Ela exerce uma atração sobre nós no momento da compra. Porém, se ela estiver vazia ou se o produto que estiver dentro dela não atender às nossas expectativas, certamente não faremos a compra.
Podemos fazer uma analogia com o marketing pessoal. Se participarmos de um processo seletivo usando a nossa melhor roupa e criando e falando frases que não são verdadeiras para sermos selecionados, seremos apenas uma bela embalagem sem conteúdo.

Por mais difícil que seja se imaginar como um produto, é assim que as empresas, no momento em que realizam uma seleção, concebem os candidatos. Trata-se de produtos, de profissionais com conhecimentos, habilidades e atitudes que podem contribuir efetivamente com o seu sucesso e o seu crescimento. Não basta, portanto, apenas caprichar na imagem; é preciso muito mais: é preciso ter conteúdo.
O marketing pessoal é uma ferramenta essencial atualmente, pois o mercado de trabalho é competitivo e seletivo. E desenvolver um plano de marketing pessoal não é difícil. Na realidade, trata-se de um conjunto de ações, atitudes e ferramentas que possibilitam a inserção no mercado de trabalho ou o crescimento na empresa em que se atua.

CRIAR UM PLANO DE MARKETING PESSOAL
Não deixe para depois! Comece hoje mesmo a desenvolver o seu plano de marketing pessoal.
Para dar início a esse processo, é fundamental analisar alguns pontos.

1. Comece pensando em quem você é.
2. Depois, pense sobre os pontos fortes e fracos da sua personalidade. Procure dar foco às suas características mais marcantes, como alegria, bom humor, bom senso, facilidade de comunicação. Com o passar do tempo, essas serão suas marcas pessoais.
3. Você sabe o que as pessoas dizem sobre você? Como é sua imagem diante dos outros?
Neste item, relacionado com a imagem, pense em um conjunto, ou seja, não somente em uma roupa bonita e bem-passada e em cabelos arrumados, mas na imagem profissional. Quais são os atributos da sua atuação profissional que mais se destacam?
4.Sobre as suas reações, você sabe trabalhar sob pressão? Consegue atingir metas? Como administra conflitos? Sabe trabalhar em equipe? Consegue seguir ordens? Como você se relaciona com as outras pessoas?

É importante lembrar que a questão comportamental também é uma ferramenta de decisão, seja em um processo seletivo, seja em uma seleção interna (quando a empresa promove algum funcionário).
A falta de habilidade no relacionamento interpessoal pode ser vista com frequência em muitos ambientes de trabalho. Dela, resulta a falta de respeito e a falta de habilidade de ouvir.
5.E agora, em que nível estão sua autoestima, sua motivação, seu humor, sua criatividade e sua sensibilidade?
6.Você se considera um profissional proativo ou reativo?
Um profissional proativo é aquele que procura se antecipar e que se responsabiliza por suas escolhas; já o profissional reativo é aquele que acaba deixando para a última hora todas as suas atividades.

MUITO BEM! O PRÓXIMO PASSO É PENSAR SOBRE ESTAS QUESTÕES:


ONDE ATUAREI?

COMO MEU CURRÍCULU ESTÁ CONSTRUÍDO?

COMO REALIZO A COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL?

É importante se colocar no lugar do outro e tentar entender de que maneira a informação está chegando a ele.
Observe as dicas que selecionamos do Portal RH para aprimorar sua comunicação interpessoal e, consequentemente, facilitar seu convívio com os seus colegas:


PROCURE TROCAR ALGO ALÉM DE PALAVRAS.
Estabelecer a verdadeira comunicação interpessoal não é apenas trocar mensagens verbais com outras pessoas. Ela vai muito além disso. O ideal é que você, a partir do momento em que estabelece a troca de informações, procure exercer a empatia, ou seja, a capacidade de se colocar no lugar da outra pessoa. Assim, você conseguirá conhecer fatos culturais que, talvez, jamais chegue a vivenciar.

BUSQUE APRENDER COM SEUS INTERLOCUTORES.
Se você está aberto para se comunicar, consegue preparar o campo para receber aprendizados. E é importante lembrar que o processo de aprendizagem é bilateral: quando os indivíduos aceitam de fato a comunicação interpessoal e a troca de ideias e de experiências, as informações tornam-se muito mais relevantes.


COLOQUE VELHOS PARADIGMAS EM PERSPECTIVA.
Ao longo de nossa vida, é absolutamente normal que paradigmas se formem e se consolidem. Porém, ao adotar de verdade os princípios da comunicação interpessoal, você se torna mais suscetível a quebrá-los ou a renová-los. Não se trata de afirmar que alguém tem razão sobre determinado assunto, mas de estimular a mudança, a evolução, a descoberta de novos caminhos que podem levar você e sua empresa a novos lugares.

ESTIMULE O COMPARTILHAMENTO.
Embora a inibição seja uma característica normal, quando se trata de compartilhar ideias ou conhecimento em um ambiente corporativo, ela pode ser prejudicial. Por conta da inibição, muitos profissionais deixam de apresentar suas ideias, de defender seus posicionamentos em reuniões e de mostrar o quanto podem ser valiosos a uma empresa. Por isso, é muito importante criar um ambiente favorável ao compartilhamento. Quem exercita a comunicação interpessoal ganha mais confiança e se sente mais seguro, uma vez que percebe que falar faz parte do contexto social em que está inserido.

INCENTIVE O NETWORKING.
Networking não significa sair correndo e falando “pelos cotovelos”. É a prática da comunicação interpessoal, que é um dos caminhos para ampliar a rede de relacionamentos. Na verdade, se todas as sugestões apresentadas forem adotadas, é bem provável que realizar networking se torne uma atividade bem mais fácil.

O CORPO FALA. FIQUE ATENTO AO GESTUAL.
A comunicação interpessoal não se dá apenas pelas palavras, mas também pela entonação da voz e pelos gestos articulados durante a conversa. Ou seja, há um conjunto de fatores que, para quem é atento, demonstra os sentimentos do locutor (alegria, contrariedade etc.). Isso facilita muito a comunicação.

UTILIZE A COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL PARA RESOLVER CONFLITOS.
As práticas de comunicação interpessoal são poderosas aliadas na resolução – e até mesmo na prevenção – dos conflitos organizacionais. Muitos profissionais criam situações conflituosas porque se negam a dedicar dez minutos do seu dia para trocar ideias, desfazer equívocos e chegar a um consenso. Dê importância para o diálogo e, quando possível, procure atuar como mediador. Ouça as partes envolvidas e procure aproximá-las para que tudo se resolva com serenidade.

MELHORE O SEU DESEMPENHO.
Quando a comunicação interpessoal é valorizada e praticada no ambiente corporativo, as pessoas melhoram o seu desempenho porque passam a se conectar melhor na busca pela obtenção de resultados.

PROMOVA O AUTOCONHECIMENTO.
A comunicação interpessoal também serve como termômetro para que um profissional saiba como os outros o percebem. E isso se torna relevante principalmente para o desenvolvimento das competências comportamentais. Então, ao promover as práticas de comunicação interpessoal, você abrirá caminhos para não apenas conhecer a si próprio, mas para entender como os seus colegas o veem.

Fique ligado que amanhã voltamos com o assunto ;)

Fonte: http://www.senacrs.com.br/cursos_ead/marketing_pessoal