Divulga Vagas - O que é recrutamento interno e externo? Quais as diferenças?
Home   >   O que é recrutamento interno e externo? Quais as diferenças?
O que é recrutamento interno e externo? Quais as diferenças?
13/11/2019   Divulga Vagas 558 Visualizações
recrutamento externo e interno

O que é o recrutamento externo?

Ao falarmos de recrutamento externo, é preciso entender apenas que se trata de um processo realizado exclusivamente fora da empresa , podendo abranger também suas filiais.

Neste formato, as desvantagens e vantagens também são bem claras, e como sempre, é preciso certo jogo de cintura para trabalhar com as diversas variáveis que se encontram nele, sabendo que neste processo, todos os fornecedores externos e clientes podem participar do processo, assim como quem nunca ouviu falar da empresa.

Também precisamos entender que este processo não é eternamente fechado, podendo se transformar mais adiante em processo misto, onde pessoas internas a empresa também poderá participar, ou ainda se transformar em processo externo, onde somente as pessoas de fora do âmbito da empresa poderão participar.

E quando ocorre isso? Bem, não existe uma fórmula mágica, mas digamos que no processo externo não se tenham muitos candidatos para uma vaga e o setor de RH pode ficar com receio da mesma não ser preenchida, sendo assim, abre o recrutamento para o público interno também.

Neste caso, o preenchimento da vaga é realizado através da admissão de candidatos externos a empresa, podendo ser através de indicações dos próprios colaboradores se assim for o caso.

Quais os principais motivos?

Para abrir um recrutamento externo é preciso ter em mente alguns motivos que o leve a este processo aberto externamente, e citaremos os mais importantes neste caso:

  • Necessidade de sangue novo e novas ideias na empresa.
  • Necessidade de novas técnicas que somente um perfil específico poderá oferecer.
  • Não ter no quadro interno o perfil necessário.
  • Necessidade de perfil pessoal diferenciado para a empresa e equipe.
  • Necessidade de sigilo de contratação para a nova função.
  • Necessidade de mão-de-obra temporária ou sazonal.

Quais as vantagens?

  • Um dos motivos principais de querer fazer o recrutamento externo é justamente trazer sangue novo para a empresa, nova mentalidade, novas práticas e forma de fazer os processos, abordagens diferentes frente aos problemas apresentados no dia a dia, novos conhecimentos e novidades aprendidas em outras organizações.
  • Obter uma possibilidade maior de escolhas frente a quantidade maior de candidatos que geralmente se apresentam, e desta forma, conseguir apresentar vários perfis técnicos e pessoais diferentes ao gestor requisitante desta nova vaga em aberto.
  • Possibilidade mais imediata de obter profissionais já formados nos cursos solicitados quando a vaga é urgente e não existe o tempo hábil para formar um profissional internamente. Geralmente este fator pode parecer uma vantagem, mas ao mesmo tempo pode se tornar uma desvantagem, visto que ao formar internamente, o colaborador valoriza muito mais a empresa e se torna mais fiel a ela em gratidão à oportunidade obtida.
  • Anula vários conflitos internos entre colaboradores que desejam alcançar a mesma posição dentro da empresa, e desta forma, anulando o sentimento de injustiça entre os colaboradores e empresa.
  • Com o recrutamento externo, é possível deixar os critérios de seleção mais exigentes, com novas possibilidades de escolhas, sem precisar se preocupar com reclamações posteriores de colegas descontentes.
  • facilidade de aprendizado do novo colaborador é geralmente maior, pois se preocupa em não só entender o que lhe é solicitado, mas também a cultura e forma de relacionamentos da empresa.
  • O capital intelectual da empresa se torna maior, visto que as pessoas trarão novas perspectivas, habilidades e capacitações diferenciadas.

Quais as desvantagens?

O valor gasto de um recrutamento externo geralmente é mais alto do que recrutamento interno, pois ao inserir sua vaga em portais de empregos pagos, anúncios pagos de jornais, ligações para celulares e telefones fixos dos candidatos, disparo de mailings, contratação de empresas terceirizadas, tudo isso gera um alto custo por vaga.

O tempo para uma decisão sobre a seleção é mais demorado, pois requer um cuidado muito maior e mais profundo de análise de testes e provas, além de entrevistas e dinâmicas realizadas.

Os colaboradores atuais podem se sentir injustiçados por oferecer a vaga para outros de fora e não valorizar o seu trabalho internamente.

A integração é mais demorada, pois ao contrário do colaborador interno, os novos contratados precisão aprender a se relacionar nesta nova cultura, podendo ainda levar alguns meses, dependendo de como for seu novo ambiente de trabalho.

Pode criar também distorções ao nível salarial, pois geralmente os salários externos são maiores do que os praticados em sua empresa para quem desempenha a mesma função, ainda mais que uma determinada pessoa pode estar só auxiliando nesta função até que o novo colaborador assuma.

Quais os principais passos?

Os passos são muito semelhantes aos passos do recrutamento interno, diferindo em algumas partes apenas. Em primeiro lugar, é preciso pensar em todas as informações que se deseja passar aos candidatos, assim como as datas, para quem enviar o interesse para sua seleção, o cargo e suas funções, data de início, salário e qual área e formações poderão participar, e demais dados que achar interessante para a seleção.

Para divulgar estas vagas, as empresas o fazem através dos seus diversos meios de comunicação externa:

  • Murais de supermercados, faculdades etc.
  • Intranet da empresa solicitando indicações
  • Portais de empregos e redes sociais como postar vaga no Facebook
  • Mailings
  • Ligações para celulares e telefones fixos de quem já enviou seu currículo e não recebe e-mails
  • Enviar vagas para empresas de recursos humanos (preferencialmente apenas 1 empresa)
  • Anúncios em sindicatos da área
  • Anúncios em jornais
  • Após isso, o setor de recursos humanos poderá efetivamente, na data estipulada, desenvolver os seguintes itens para a devida seleção:
  • Prova técnica para a área e cargo.
  • Entrevistas com o possível novo gestor.
  • Entrevistas com o próprio RH
  • Análise de resultados da escola, faculdade, universidade, cursos etc.
  • Dinâmicas de grupos para desempenho dos colaboradores entre si.

Deve-se também deixar claro para os candidatos quais os critérios para a vaga, quantas posições estão sendo ofertadas, a forma de posicionamento e ascensão do colaborador para a vaga (contratação CLT, trainee, estágio, temporário e demais formatos).

Conclusão sobre Recrutamento Interno

Bem, esperamos que tenha aprendido muito sobre isso tudo e que recrutamento interno e externo para você como profissional, seja algo simples, porém, com critérios definidos, para que seja sempre justo e obtenha o melhor para sua empresa e para as pessoas que a formam.

Fonte: https://www.lideregestao.com.br/o-que-e-recrutamento-interno-e-externo-quais-as-diferencas/