Divulga Vagas - Procrastinação: o que é, causas e como parar de procrastinar
Home   >   Procrastinação: o que é, causas e como parar de procrastinar
Procrastinação: o que é, causas e como parar de procrastinar
02/12/2019   Divulga Vagas 46 Visualizações

Talvez a palavra procrastinação soe estranha, mas o que o ato significa faz parte do dia a dia de muita gente.

Afinal, quem nunca deixou para depois uma obrigação que tinha para fazer?

Talvez você mesmo tenha ignorado o famoso ditado popular: não deixe para amanhã o que pode ser feito hoje.

Pois é, adiar os seus compromissos uma, duas vezes não é algo tão grave, especialmente se ainda estiver dentro de um prazo de relativa tranquilidade.

O problema é quando procrastinar acaba se tornando um hábito e prejudicando a rotina da pessoa. 

Muita gente acredita que a procrastinação é apenas fruto da preguiça, da falta de vontade momentânea de realizar algo, mas não é bem assim.

Conforme veremos mais à frente, existem razões emocionais e até fisiológicas que podem nos levar a esses adiamentos nocivos.

Mas fique tranquilo, se você é um procrastinador de carteirinha, aquele que sempre deixa as coisas para a última hora, vamos trazer neste artigo dicas para cortar esse mal pela raiz. 

Quer saber como? Então, é só se ligar no conteúdo exclusivo que preparamos para você. 

Assista o vídeo e boa leitura!

O que é procrastinação?

 

Procrastinação é o adiamento, a demora, o atraso em realizar determinada atividade. 

Você, muito provavelmente, já sentiu aquela sensação de que qualquer atribuição parece mais interessante que os afazeres mais urgentes.

Digamos que você tenha, por exemplo, uma reunião importante na segunda-feira, na qual é preciso toda uma atenção e um estudo prévio. 

No entanto, ao invés de dedicar parte da sua sexta-feira – dia em que ficou sabendo do compromisso – para se concentrar nisso, você prefere postergar essa ação para a noite de domingo. 

Então, ao longo de todo final de semana, você decide elencar outras prioridades

Arrumar aquele cômodo que há meses não recebe atenção, fazer aquela visita que é sempre adiada, além, é claro, dos passatempos em momentos de descanso.

 

Por que procrastinamos?

Vários motivos podem nos levar a procrastinação. 

Quando recebemos uma tarefa com um prazo longo para ser cumprido, nossa reação natural é prorrogá-la para mais perto da data limite. 

Outro caso comum que resulta na protelação são aquelas obrigações que exigem uma responsabilidade elevada para serem realizadas. 

Geralmente, ficamos aguardando uma ocasião ideal – que nunca chega – para que tenhamos todas as condições necessárias para desempenhar um bom papel.

A preguiça, vamos ser realistas, também gera muita procrastinação. 

Você está lá bem tranquilo em sua zona de conforto e acha que esse não é o momento de executar determinada atividade. 

 

Quais as causas da procrastinação?

Além desses porquês, existem outras causas da procrastinação, relacionadas a questões emocionais e fisiológicas. 

Confira: 

Psicológicas

Estudos estabelecem relações importantes entre a procrastinação e distúrbios mentais como ansiedade, problemas de autoestima e comportamento autodestrutivo.

Segundo o autor David Allen, criador do método Getting Thing Done (GTD), traduzido para o português como 

A arte de fazer acontecer, existem duas razões psicológicas que levam a pessoa a procrastinar.

A primeira categoria diz respeito aquelas tarefas menos importantes, que servem apenas para atrapalhar o fluxo natural de uma sequência de acontecimentos. 

Como, por exemplo, organizar a sua mesa de trabalho para aumentar a sua produtividade. 

Já a segunda é exatamente o oposto. 

Representa aqueles compromissos mais sérios, que exigem um grau de responsabilidade muito grande e que podem vir a causar consequências de um impacto significativo.

Nesse caso, o exemplo pode ser um trabalhador que adia ao máximo a entrega de determinada demanda por medo dela não estar a altura do que o seu chefe deseja.

O perigo, em qualquer um dos casos, é subestimar a complexidade de uma tarefa, caso a procrastinação deixe de ser episódios esporádicos e passa a se tornar um hábito.

Fisiológicas

Quanto às raízes fisiológicas da procrastinação, a maioria dos estudos, levam ao envolvimento do córtex pré-frontal. 

Para quem não sabe, essa área do cérebro tem como principais funções atuar no planejamento, controle de impulsos, determinação do foco e filtro de estímulos geradores da distração. 

A pouco utilização dessa área, assim como pequenas lesões na região, podem levar ao aumento da procrastinação, uma vez que a pessoa se deixa levar mais facilmente por distrações externas. 

É algo parecido ao que acontece com os pacientes com Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), em que o córtex pré-frontal é menos usado.

 

Quais os impactos da procrastinação na sua vida?

A procrastinação pode trazer muitos impactos na vida de uma pessoa, quase todos eles negativos. 

Em uma apresentação no Youtube, o pesquisador e psicólogo Tim Pychyl, que estuda o tema há mais de 20 anos, explicou que o ato pode afetar não apenas a saúde mental, como a física também. 

Segundo ele, não se trata somente de falta de tempo, procrastinar tem a ver com uma incompetência na hora de gerir as próprias emoções.

Pychyl compara o adiamento das tarefas com outras medidas pouco racionais que tomamos em situações específicas, como beber para afogar as mágoas ou descontar nossas frustrações na comida, por exemplo.

Ou seja, são saídas paliativas, que podem até trazer um bem-estar momentâneo, mas que logo depois já tem o seu efeito encerrado.

 

Quais são os tipos de procrastinadores?

Procrastinação não tem a ver com preguiça somente e pode desencadear consequências mais sérias de saúde. 

Se você tem o hábito de empurrar as obrigações com a barriga é bom ficar atento ao seu comportamento.

Descobrir qual tipo de procrastinador você é, é um bom começo. 

Existem dois perfis principais: o relaxado e o tenso-nervoso. 

Conheça, agora, um pouco mais sobre cada um deles.

Relaxado

O tipo relaxado é aquele acha sua obrigações chatas e não vê o impacto que deixar de fazê-las pode causar em uma rotina produtiva. 

Por isso, ele prefere substituir suas responsabilidades por outras tarefas mais prazerosas.

Por exemplo, você dificilmente vai ver um procrastinador relaxado abrir mão de seus hobbies ou da sua vida social ao mesmo tempo que foge de um projeto ou atividade profissional.

Ele evita o causa incômodo, angústia e ansiedade para direcionar as suas energias a passatempos mais agradáveis.

Tenso-nervoso

Já o tipo tenso-nervoso tem uma relação diferente com a procrastinação. 

Ele tem consciência que as suas obrigações são importantes, no entanto, se sente incapaz de conseguir realizá-las, pelo menos, em um primeiro momento.

Então, o que ele faz? Posterga. Deixa para amanhã com a desculpa que vai estar mais descansado e preparado para cumprir suas responsabilidades de maneira mais assertiva.

Acontece que, quando o dia seguinte chega, ele continua se sentindo sem condições de realizar o que precisa. 

Como consequência, a tensão, o estresse e o nervosismo só aumentam, até chegar o ponto de se tornarem insustentáveis.

 

Como parar de procrastinar?

E aí, conseguiu identificar que tipo de procrastinador é você? 

Assim, fica mais fácil de encontrar saídas para acabar com esses adiamentos que não levam a lugar nenhum. 

Pelo contrário, só trazem sentimentos ruins e aumentam o nosso sentimento de culpa por não estarmos cumprindo com os nossos deveres.

 

Dicas para parar de procrastinar

Mas calma, nem tudo está perdido. 

Sempre há tempo para revermos nossas ações e buscarmos uma mudança de hábitos mais positiva. 

Separamos cinco dicas que prometem acabar com a procrastinação. 

Confira, essa transformação só depende de você: 

Identifique um padrão

O primeiro passo é tentar identificar um padrão. 

Procure analisar o que faz você procrastinar: existe algum tipo de atividade específica que promove essa adiamento? 

Ou o que tira a sua atenção do que realmente importa?

Ao se fazer essas perguntas é possível verificar um modo de agir e assim buscar criar mecanismos que evitem esse comportamento nocivo.

Bloqueie estímulos externos

Quem já tem uma dificuldade maior para conseguir se concentrar, qualquer atração externa vai prejudicar ainda mais essa busca pelo foco.

As pessoas que trabalham com home office sofrem muito com isso. 

Volta e meia o entretenimento vai parecer ser mais interessante que as obrigações profissionais.

Uma boa saída é criar um cronograma, que imite uma jornada tradicional, com uma carga mínima de trabalho diário e horários de intervalo e descanso.

Faça uma coisa de cada vez

Se você já está com dificuldades de realizar uma tarefa de cada vez, imagina se resolver assumir mais de um compromisso.

Mesmo que você seja da geração Y e se caracterize pela capacidade multitarefa, priorize terminar uma obrigação primeiro antes de partir para outra. 

Mais vale entregar um serviço bem feito do que dois não tão bons. 

Divida a tarefa em vários passos

Outra boa maneira de evitar a procrastinação e transformar suas responsabilidades em afazeres um pouco mais prazerosos é dividi-los em diferentes partes.

Assim, você pode conquistar pequenos objetivos que vão trazer motivação para concluir com perfeição o compromisso em sua totalidade. 

Transforme uma tarefa complexa em outras menores e mais acessíveis e consiga cumprir com suas obrigações dentro do prazo e sem sofrer com a ansiedade.

Controle antes que se torne um hábito

Como dissemos, adiar uma atividade um ou duas vezes quando o prazo é bem extenso, não é um grande problema. 

A questão começa a ficar séria quando o que era algo eventual e corriqueiro vira hábito.

Por isso, tente ao máximo controlar essa prática antes que ela vire rotina. 

Todas as dicas anteriores vão ajudá-lo nesse sentido. 

 

Conclusão

Não deixe para amanhã, o que pode ser feito hoje. 

A sabedoria popular diz tudo nesse ditado. 

Ainda mais depois de descobrir que procrastinação não é sinônimo apenas de preguiça, pode ser algo muito mais sério e precisa ser evitado antes que se torne um hábito.

Sua saúde mental e física está em jogo, não brinque com isso. 

Esse é o tipo de coisa que não dá para empurrar com a barriga.

Não procrastine. Nos conte agora mesmo as suas impressões a respeito deste artigo que você acabou de ler. 

 

 

Fonte: https://www.sbcoaching.com.br/blog/procrastinacao/