Divulga Vagas - Requisitos da Boa Comunicação
Home   >   Requisitos da Boa Comunicação
Requisitos da Boa Comunicação
26/11/2019   Divulga Vagas 25 Visualizações

Hoje vamos dar continuidade ao assunto Marketing pessoal, para isso precisamos ter um boa comunicação. Vamos lá?!

REQUISITOS DA BOA COMUNICAÇÃO

Sair do isolamento e se comunicar com as pessoas é uma atitude fundamental para conseguir uma oportunidade no mercado de trabalho ou para crescer profissionalmente. Veja o que diz o autor Marcos Gross (2013):
“Líderes segregados nas suas torres de marfim podem desarticular equipes inteiras de trabalho quando não compartilham conhecimentos com grupos de outros níveis organizacionais.”

Em seu livro, Marcos Gross apresenta 51 conselhos para facilitar o desenvolvimento da competência comunicativa, tão exigida no mundo corporativo. Estas cinco dicas fundamentais, selecionadas pela revista Exame, foram apresentadas nele: ATENTE AO PERFIL DE QUEM RECEBE A MENSAGEM.

A pessoa para a qual você está transmitindo a mensagem será capaz de compreender o que você diz? De acordo com Marcos Gross, atentar para o perfil do receptor da mensagem faz toda a diferença. Parece óbvio? Nem todos estão atentos a isso.
O autor ilustra esta dica com um exemplo: a clássica dificuldade dos profissionais de tecnologia para explicar detalhes técnicos de um projeto para quem não é da área de TI. “O problema não é a falta de inteligência ou a incapacidade intelectual do leigo, mas a ausência de repertório dele naquele campo do conhecimento”, explica Gross.
Por isso, ele sugere que o profissional preste atenção ao perfil sociocultural dos ouvintes, pensando nas palavras que compõem o cotidiano deles. Conforme Gross, o comunicador que desprezar essas premissas não estará dialogando, mas atuando em um verdadeiro monólogo.

INVISTA NAS TRÊS ESFERAS DA COMUNICAÇÃO.
Segundo Gross, pesquisas de laboratório de psicologia da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, conduzidas pelo professor Albert Mehrabian, indicam que a composição da comunicação humana face a face é a seguinte:
55% são mensagens não verbais.
38% da comunicação acontece pelo tom de voz.
7% são mensagens verbais.
É isso mesmo. Ao dirigir a palavra a alguém, muitas vezes o profissional está concentrado apenas em “uma pequena fração da totalidade da comunicação”, explica o autor.
Por isso, preste atenção se a sua postura, o seu olhar, o seu aperto de mão, a sua roupa e o conjunto dos seus movimentos estão de acordo com a mensagem que você está transmitindo verbalmente, seja em uma entrevista de emprego, seja em uma reunião ou uma palestra.
“Explorar as três esferas da comunicação aumenta a possibilidade de sermos bem-sucedidos e compreendidos em nossas mensagens”, diz o autor.

SAIBA OUVIR.
Muitas pessoas consideram que, quanto mais elas falarem e expuserem suas ideias, mais poder de influência obterão com as pessoas. Gross desconstrói essa ideia.
“Durante uma conversa, quando você se silencia e escuta o outro de maneira focada, envia uma mensagem que é interpretada positivamente pelo receptor: ele me ouve, valoriza as minhas ideias, respeita e me considera como indivíduo”, explica o autor.
Ou seja, se o seu objetivo é aumentar o seu poder de influência e de interação com as pessoas, fuja de monólogos e aposte no diálogo. “Falar muito, mas ouvir mais, muito mais”, sugere o autor.

APOSTE NA ASSERTIVIDADE.
Clareza, objetividade e sinceridade são as características de quem é assertivo. Uma pessoa assertiva é transparente em intenções e colocações.
Olhar no olho ao conversar, voltar-se à pessoa com quem se fala (postura), alinhar as palavras à expressão facial e manter um tom de voz firme, claro e moderado são posturas que revelam esse aspecto durante a comunicação.

Para Gross, são raros os profissionais com essas qualidades, já que a capacidade de ser assertivo está sujeita a situações de poder no ambiente corporativo. Como ser sincero se tenho medo de sofrer retaliações por dizer o que penso?
Mas o autor pondera: engolir sapos faz mal à saúde. Segundo ele, “quando um colaborador não se permite expressar suas opiniões, desenvolve gastrite, dores na coluna, alergias, hipertensão, estresse, entre outros problemas”.

USE TÉCNICAS QUANDO O SEU OBJETIVO FOR AUMENTAR O IMPACTO DA SUA MENSAGEM.
O impacto da mensagem junto ao receptor é uma questão de técnica. E, explica Gross, publicitários são talvez a categoria que mais se utiliza dessas ferramentas para atingir o seu objetivo, que é “seduzir” o consumidor.
Por isso, o Gross divide algumas das táticas usadas por eles e que também podem ser úteis aos profissionais de outras áreas. A primeira delas é criar mensagens que chamem a atenção. “Use textos, fotos, símbolos, cores, formas e imagens que despertem a atenção do receptor. Produza algo inédito que quebre o padrão e a rotina”, indica Gross.

Também estude o público que receberá a mensagem e torne a comunicação adequada a ele. “Foque a tribo com quem está se comunicando e alinhe sua mensagem”, sugere Gross.
Estimular os destinatários seria o passo seguinte, e entender os motivos que o fariam mudar suas atitudes é o pulo do gato nesse momento. “Ofereça algo que lhe traga satisfação ou que possa resolver um problema que o aflige”, escreve Gross.

LINGUAGEM CORPORAL NO TRABALHO

Reflitamos agora sobre o quanto a linguagem corporal pode falar sobre alguém.
A seguir, veja quais são as piores gafes corporais e o que podemos fazer para evitá-las.

1. Não fique sentado “largado” na cadeira.
2. Se estiver cansado, tome um café, dê uma rápida caminhada e deixe para se espreguiçar no banheiro. Mostrar-se cansado é uma das piores gafes.
3. Estalar os dedos? É melhor nunca fazê-lo.
4. Se uma das suas unhas quebrar, vá até o banheiro e a lixe.
5. Apoiar o queixo sobre a mão demonstra cansaço. Evite fazê-lo.
6. Mantenha seu corpo ereto, mas sem exageros. Pessoas com ombros para frente demonstram estar cansadas.

Agora, veja o que alguns movimentos e gestos podem dizer sobre você:
1. Levantar a cabeça sinaliza interesse e o desejo de ouvir as opiniões dos outros.
2. Inclinar-se para a frente diz “diga-me mais, estou interessado”.
3. Colocar as mãos dobradas no colo ou sobre o estômago parece ser um gesto de proteção.
4. Mãos colocadas sobre a mesa podem significar “vamos direto ao assunto”.

REDE DE RELACIONAMENTOS

Para finalizar nossa reflexão acerca do marketing pessoal, fazemos um questionamento:
Existem algumas ferramentas que podem contribuir com a criação de networking, como as seis que citamos a seguir.


ENTRE EM CONTATO COM VELHOS COLEGAS.
Reconecte-se com amigos da escola, da infância, da faculdade ou de outros trabalhos. Entre em contato com eles via redes sociais, e-mail, telefone, aplicativos de troca de mensagens. Seja como for, faça um contato inicial.

CRIE UMA REDE SOCIAL.
Você não consegue entrar em contato com seus ex-colegas e amigos da infância porque não tem acesso às redes sociais? Crie um perfil nelas para você.

VÁ A ENCONTROS.
Vá a almoços, happy hours e jantares. Esse tipo de coisa é um bom investimento para ampliar o networking.

SAIBA OUVIR.
Procure sempre se envolver nas conversas, ouvindo e demonstrando entusiasmo. Saber ouvir é uma grande qualidade, e, em qualquer relacionamento, é importante estar presente e prestar atenção.

ESTEJA PRESENTE.
É interessante pensar na outra pessoa e fazer alguma coisa por ela. Pode até ser prestar um pequeno favor ou estar presente em algum determinado momento. Para quem recebe a gentileza, trata-se de uma grande surpresa.

DÊ IMPORTÂNCIA ÀS PEQUENAS COISAS.
Entre em contato com as pessoas, seja por e-mail, por aplicativos de troca de mensagens ou por telefonemas. Pequenos contatos fortalecem vínculos e aproximam pessoas.

Rede de relacionamentos, ou networking, nada mais é do que uma rede de contatos que permite estabelecer relações profissionais. É uma ferramenta poderosa que contribui efetivamente com o marketing pessoal.

AGORA VAMOS PRATICAR O MARKETING PESSOAL, QUE TAL CRIAR O SEU?

Para fazer o planejamento da sua estratégia de marketing pessoal, seja a nível pessoal ou profissional, deve responder às seguintes questões:
 Em que fase da sua vida se encontra?
 Qual a sua missão, visão, valores e política pessoal?
 Quais as suas competências?
 Quais os seus pontos fortes e pontos fracos?
 Quais as suas forças e fraquezas?
 Que imagem sua passa para o exterior?
 Que impacto tem nas outras pessoas?
 Consegue ter a percepção do que os outros pensam de si?

 Quais as oportunidades e ameaças no seu mercado?
 O que há de novo na sua área profissional e no seu ramo de atividade?
 O que faz para se manter competitivo?
 Quais os seus objetivos?
 Que estratégias pretende levar a cabo para alcançar os seus objetivos?

No final não se esqueça que todas as etapas para elaboração do plano, bem como o acompanhamento dos objetivos podem (e devem) ser revistas e redirecionadas periodicamente, a fim de se ajustarem a novas situações. Os seus objetivos, no entanto, devem ser possíveis de atingir, de outra forma podem acabar por desmotiva-lo. E é essencial terem um período de tempo definido.
Faça ainda um controlo periódico dos resultados de forma a poder redirecionar as suas metas antecipadamente de forma a atingir os seus objetivos. No final de todo este processo, a ideia é que se sinta realizado (profissional ou pessoalmente ou em ambos os casos).
Elaborar um Plano de Marketing Pessoal é uma excelente ideia para se desenvolver pessoal e profissionalmente de forma otimista, realista e estruturada. Se o fizer verá que deu início a uma nova etapa na sua vida: aquela em que tem aquilo com que sempre sonhou!

Fonte: http://www.senacrs.com.br/cursos_ead/marketing_pessoal