Divulga Vagas - Vai se apresentar em público? Então seja você mesmo
Home   >   Vai se apresentar em público? Então seja você mesmo
Vai se apresentar em público? Então seja você mesmo
10/03/2020   Divulga Vagas 11 Visualizações

Você foi convidado a se apresentar em público e quer se destacar. Então logo vem aquele desejo de pesquisar no Youtube como os grandes oradores e palestrantes se apresentam.

Isso é importante, afinal modelar alguém como dizem os coachs faz você se espelhar nas melhores práticas de apresentação.

Inspiração nos outros é algo essencial e válido na nossa condição. Afinal, quem não gostaria de sempre se apresentar bem em qualquer contexto?

  • A questão é: há um problema em copiar outros oradores?

Essa questão começa a se tornar um problema quando nós começamos a tentar copiar exageradamente o jeito de alguém se apresentar, a querer fazer igual aquela pessoa.

O meu conselho é: seja você mesmo!

No mundo de muita informação, falta de tempo e carência de autenticidade, as características individuais que são relevantes fazem muito sentido. Isso é um dos focos do marketing pessoal que já comentei aqui.

Falar bem em público: Por onde começar?

Para se apresentar em público, fale com paixão, convicção e com significado próprio.

A oratória é uma coisa humana, é uma forma de expressão, de comunicação, de venda.

Trata-se de influenciar. É um momento de exposição do seu produto (você).

Se as pessoas perceberem que você está fazendo algo com paixão, elas vão se interessar mais em como você fala do que exatamente o que você fala.

Ao contrário, se você se apresentar tentando ser alguém que não é, vai ficar robotizado e não será legal.

Eu tenho uma dica que um psicólogo me ensinou uma vez.

O exercício é o seguinte: Pegue um papel e escreva um bilhete como se fosse para alguém falando algo sobre você. Escreva expondo seus gostos, suas paixões, seus defeitos.

Você pode até ler este bilhete um outro dia para ter uma noção de autoconhecimento. Isso é importante para que você defina quais pontos fortes ou quais características suas podem ser usadas na sua oratória.

Após isso, outra coisa importante é começar a definir o seu estilo como apresentador.

Reflexão: Você é mais daqueles que usam o humor, que conseguem contar uma piada? Ou você é mais daquele tipo de pessoa que busca focar estritamente em oferecer o melhor conteúdo, em exauri-lo e tem um tom mais técnico ou acadêmico?

Seja qual for o seu ângulo, comece a defini-lo. Use a Lei do contraste. Por exemplo, conheço alguém que dá palestras e é gago. Isso é um contraste.

Pense: “Uma palestra de um gago… quero ver essa!”

Outra coisa é assitir uma palestra de alguém que é semianalfabeto e conseguiu montar uma empresa lucrativa. Essa história contrastante vai interessar as pessoas. Pense em como você pode definir um contraste na sua apresentação.

  • Para quem é iniciante: não se preocupe muito com seu estilo agora. Ao longo do tempo, você vai achando o seu jeito, o seu timing, a sua forma de se apresentar e assim vai desenvolvendo o seu estilo único.
  • E para quem se apresenta há mais tempo, será que não é a hora de você investir um tempo em aperfeiçoar o seu jeito de se apresentar? Pense nisso.

    Pergunta de hoje: Se todas as pessoas são únicas, por que você vai ser padrão?

    FONTE https://www.superedesafios.com.br/vai-se-apresentar-em-publico-entao-seja-voce-mesmo/