Divulga Vagas - Vale a pena trocar tempo por dinheiro?
Home   >   Vale a pena trocar tempo por dinheiro?
Vale a pena trocar tempo por dinheiro?
23/03/2020   Divulga Vagas 16 Visualizações

Pesquisas recentes mostram que pessoas que valorizam mais o tempo do que a recompensa financeira são mais felizes e produtivas

É muito difícil contabilizar o tempo. Por acaso, você sabe quanto custa meia hora do seu trabalho e atenção? Qual o valor do tempo em um dia de descanso? Será que é possível calcular as horas desperdiçadas em uma reunião improdutiva?  

A ciência e a filosofia tentam explicar a relação do ser humano com o tempo. Nos negócios, chegou-se a uma máxima simples criada pelo físico Benjamin Franklin (1706-1790):

Tempo é dinheiro!
Será??? 
Há muitos séculos, aprendemos a usar nosso tempo como valor monetário:
Vendemos nossas horas de trabalho, tentamos (em vão) multiplicar nossos minutinhos de ócio, dividimos nosso tempo em unidades de medida e sempre nos sentimos subtraídos pelo tempo que continuamente escorre das nossas mãos. 
Pesquisas recentes mostram que pessoas sem tempo são mais infelizes, mesmo se tiverem muito mais dinheiro na conta bancária. A sensação de tempo perdido as fazem menos produtivas no trabalho e menos alegres com a família. 
“A falta de tempo está diretamente ligada a altos níveis de stress, ansiedade e depressão”, diz Ashley Whillans, pesquisadora e professora da Harvard Business Schooll. 

Ashley diz que valorizar mais o tempo do que o dinheiro leva ao aumento direto dos níveis de felicidade. Por isso, ela ensina que as pessoas devem se preocupar em tomar decisões mais assertivas em questões que envolvem tempo e dinheiro. Ela explica que muitos caem na armadilha de gastar tempo para ganhar dinheiro, quando na verdade deveria ser exatamente o contrário. 

Fatores comportamentais, estilo de vida e funcionamento do cérebro conspiram para colocar o dinheiro em primeiro lugar. O principal desafio, portanto, é psicológico: a crença equivocada de que a riqueza tornará nossa vida melhor no longo prazo.  

A verdade é exatamente oposta. Focar no tempo gera carreiras mais recompensadoras, traz mais socialização com a família e amigos. E, finalmente, traz mais felicidade. “A ciência mostra consistentemente que as pessoas mais felizes utilizam seu dinheiro para comprar tempo”, afirma Ashley Whillans. 

A pesquisadora compartilha algumas estratégias valiosas para superar a pobreza de tempo, experimentar relações sociais mais gratificantes e carreiras satisfatórias. Veja algumas delas:

1. Atividades pessoais: Seja mais ativo. Faça trabalho voluntário, socialize e pratique esportes. O tempo livre ativo é muito melhor para combater o estresse que o tempo livre passivo, como ver televisão ou apenas relaxar. 

2. Compre tempo: Terceirize as tarefas desagradáveis. Contrate alguém para passear com o cachorro, reorganizar a casa e outros serviços que economizam tempo. Mas saiba exatamente do que você quer se livrar. Tem tarefas que parecem chatas, mas são prazerosas e aumentam o nosso nível de felicidade. 

3 Atividades de trabalho: Uma solução importante é pedir mais prazos. Alguns funcionários, especialmente as mulheres, acham que pedir mais tempo pode sinalizar menos competência e menos motivação e superestimam qualquer reação negativa por parte dos chefes. Um tempo a mais na entrega pode trazer a oportunidade de executar melhor o serviço. Então, se arrisque. O não você já tem. Peça mais tempo para seu chefe. 

Neste TEDX, ela compartilha outras estratégias poderosas, como gastar mais tempo saboreando a refeição do que escolhendo o alimento no cardápio. Veja:

 

Com todas essas dicas e estratégias, acho que cabe a cada um de nós pôr em prática as lições de acordo com o nosso contexto e realidade.

O tempo é o recurso mais escasso de que dispomos. É importante aprendermos a cuidar dele. Está nas nossas mãos!

Para terminar, deixo um outro exercício importante que compartilho nos meus workshops de desenvolvimento de soft skills para uma nova era de trabalho. Trata-se da reflexão sobre a gestão de tempo.

Pergunta: você sabe como distribui seu tempo durante o dia para dormir, se alimentar, trabalhar, se deslocar no trânsito, se exercitar e se distrair?

Faça essa contabilidade e depois reflita se é possível incluir mais uma atividade. Pense em gastar uns minutos para planejar seu dia, semana, mês. Estabeleça metas factíveis e desafiadoras e tente1

Para mim, a regra de ouro é fazer toda noite uma lista das 5 coisas que precisa finalizar no dia seguinte. Organize por ordem de prioridade colocando as mais difíceis no horário em que estiver mais concentrado. Pode ser no começo da manhã ou logo após o almoço. Concentre-se e realize. No final do dia você vai ter a alegria de ver suas tarefas realizadas e se animar para preparar a lista do dia seguinte.

 

 

FONTE: https://www.linkedin.com/pulse/vale-pena-trocar-tempo-por-dinheiro-alice-salvo-sosnowski/?trackingId=03IY4KTMSzKOuWTHbizdyg%3D%3D